Valentim Loureiro recandidata-se a Gondomar como independente

Em 2013 a lei da limitação de mandatos impediu uma sexta candidatura, mas Valentim Loureiro encabeçou a lista à Assembleia Municipal da candidatura do Movimento Independente "Valentim Loureiro - Gondomar no Coração", que apresentava Fernando Paulo como cabeça-de-lista à autarquia e não foi a votos por ter sido rejeitada pelo Tribunal Constitucional a menos de duas semanas das eleições. O PSD retirou o apoio a Loureiro em 2005, devido ao seu envolvimento no processo judicial "Apito Dourado", no âmbito do qual seria condenado a quatro anos de prisão, com pena suspensa.

Valentim Loureiro afirmou à Lusa que sente que "as pessoas têm alguma saudade do tempo" em que liderou Gondomar, tendo decidido encabeçar uma candidatura focada em "continuar a ajudar a resolver os problemas dos gondomarenses".

Por acreditar que pode "ser útil aos gondomarenses", Valentim Loureiro confirmou, esta quarta-feira, ao JN, a intenção de candidatar-se como independente à presidência da Câmara Municipal de Gondomar.

Valentim Loureiro vai voltar a candidatar-se à câmara de Gondomar. Questionado se o travão foi o veto de Pedro Passos Coelho à sua candidatura, Valentim diz que "não foi bem veto", até porque nada pediu ao líder do PSD.

"Sou candidato a presidente da Câmara de Gondomar", anunciou hoje Valentim Lourerio, em declarações ao "Jornal de Notícias". E ainda porque, como gosta de recordar, nunca perdeu uma eleição: "Todos os lugares onde estive não foi por nomeação, foi por eleição".


Popular

CONNECT