Mercado financeiro reduz projeção da inflação deste ano de 3,90% para 3,71%

O levantamento divulgado nesta segunda-feira mostrou que os economistas consultados permanecem vendo a Selic a 8,5 por cento tanto no final de 2017 quanto de 2018.

A economia francesa cresceu 0,5% no segundo trimestre deste ano, o que significa um regresso ao ritmo de crescimento que tinha alcançado nos três últimos meses de 2016, indicou hoje o Banco de França. Para 2018, a estimativa passou de 2,40% para 2,30%. Já o Bradesco revisou de uma alta de 0,3% para 0%.

Conforme o boletim Focus, a taxa Selic encerrará 2017 e 2018 em 8,5% ao ano.

Na ocasião, a taxa básica caiu 1 ponto porcentual, para 10,25% ao ano. Já quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.


Os economistas apontaram ainda que a perspectiva para a cotação do dólar permaneceu estável de uma semana para outra ao ficar em R$ 3,30. Para o ano que vem o mercado financeiro estima que a moeda norte-americana fechará o ano em R$ 3,40.

Os analistas ouvidos pelo Banco Central, esperam que a diferença entre o que o Brasil vender para o exterior e o que ele comprar seja ainda maior.

A previsão de entrada de investimento estrangeiro no país aumentou, depois de cair por duas semanas seguidas, passando de US$ 78 bilhões para US$ 80 bilhões. Para o próximo ano, o mercado também elevou a previsão de entrada de investimentos estrangeiros, ele passou de de US$ 78,75 bilhões para US$ 80 bilhões.


Popular

CONNECT