Jornalista Jorge Bastos Moreno morre aos 63 anos no Rio

Morreu na madrugada desta quarta-feira (14), aos 63 anos, o jornalista Jorge Bastos Moreno, colunista de política do jornal O Globo. De acordo com o jornal, onde trabalhou por 35 anos, Moreno sofreu um edema agudo de pulmão, decorrente de complicações cardiovasculares. Ele teve papel importante com a publicação de informações em 1992 que levaram ao impeachment do então presidente Fernando Collor. Ele apresentava o talk show 'Preto no Branco' no Canal Brasil e um programa semanal na rádio CBN. Em março deste ano, inovou no livro "Ascensão e queda de Dilma Rousseff", transformando mensagens de Twitter em um relato histórico.

Curta o TV Foco no Facebook!

No campo literário, escreveu dois livros.

A vida de Ulysses Guimarães foi contada no livro "A história de Mora - a saga de Ulysses Guimarães" lançado pelo jornalista em 2013, e que traz a esposa do político como narradora.


Nascido em Cuiabá, Moreno residiu em Brasília desde a década de 1970 e estava no Rio há 10 anos. "Meu amigo Jorge Bastos Moreno, sempre rodeado de amigos, da laje ao cafofo, você vai fazer falta". Temer diz ter convivido por 30 anos com o jornalista e amigo, que era "arguto observador, irônico com maestria, crítico ferino e insistente apurador de fatos e bastidores".

Moreno venceu o Prêmio Esso de Informação Econômica de 1999 com a notícia da queda do então presidente do Banco Central Gustavo Franco e a consequente desvalorização do real.

Moreno era um nome respeitado no Congresso Nacional, conhecido por grandes furos jornalísticos. "Minha solidariedade aos familiares e amigos deste excelente profissional que nos deixa de maneira tão repentina", afirmou o presidente.


Popular

CONNECT