May pede investigação oficial sobre incêndio em edifício residencial em Londres

O edifício fica a 2,7 km da residência do príncipe Willian e da sua mulher, Kate Middleton.

O comandante Dan Daly, da London Fire Brigade, afirmou que "os bombeiros equipados com aparelhos respiratórios trabalham de maneira muito dura em condições difíceis para controlar o incêndio".

A primeira ministra se moveu rapidamente para tentar entender o que causou as chamas e como elas se espalharam em menos de uma hora pelo prédio que abrigava cerca de 600 pessoas. "Posso confirmar seis mortes no momento, mas o balanço deve aumentar durante o que será uma complexa operação de busca de vários dias", afirmou em um comunicado Stuart Cundy, comandante da Polícia Metropolitana.

Os bombeiros devem ficar pelo menos mais 24 horas no local, até que o fogo seja extinto. De acordo com o Comissário da Brigada de Incêndios, Dany Cotton, alguns bombeiros tiveram ferimentos leves durante o resgate. A polícia londrina diz que moradores do prédio foram retirados do edifício e que os feridos foram levados a hospitais.

O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, já exigiu a publicação "este verão" de um relatório preliminar sobre o incêndio, que esta manhã foi finalmente dado como extinto, segundo a polícia.

Testemunhas relataram ter ouvido gritos vindos do edifício e que viram algumas pessoas caírem ou pularem, além de outras acenando nas janelas.


"Quase 90% dos residentes assinaram no fim de 2015 uma petição que reclamava da má gestão da empresa responsável pela manutenção do edifício", disse David Collins, presidente da associação de moradores da torre até outubro do ano passado.

"Sinceramente, não se sabe se pessoas saltaram para escapar do fogo, mas para mim, o principal neste incidente é que os alarmes não soaram dentro do edifício", lamentou.

A rainha da Grã-Bretanha, Elizabeth II, visitou moradores, voluntários e equipes de emergência em um centro de ajuda aos afetados pelo incêndio da Grenfell Tower, prédio residencial de 24 andares que pegou fogo na madrugada da última quarta-feira.

Após o início do incêndio, por volta das 0h15 no horário local (21h15, em Brasília), pelo menos 20 ambulâncias foram enviadas às imediações do bloco, que foi isolado pelos agentes.

Lamrani, que estava no exterior do prédio de 120 apartamentos, localizado no bairro de Kensington, disse como, desde a rua, podia avistar "gente nas janelas batendo freneticamente e gritando".


Popular

CONNECT