Chilena apresenta proposta pela Eldorado Brasil, da J&F, diz jornal

De acordo com o Jornal Valor Econômico, produtores de celulose do Brasil e de outros países estão se posicionando para apresentar à J&F Investimentos ofertas pela fábrica de celulose, em funcionamento em Três Lagoas desde 2012. O grupo já conta com a assessoria do banco Morgan Stanley.

A empresa divulgou comunicado em razão de notícias publicadas na imprensa brasileira sobre negociações com o Grupo J&F, proprietário da Eldorado.

Segundo o jornal, Suzano e Fibria analisam com mais receio os riscos do acordo de leniência firmado entre a empresa dos irmão Batista e o MPF (Ministério Público Federal), que ainda depende de aval do STF (Superior Tribunal Federal) e depois do TCU (Tribunal de Contas da União). Ambas estariam em busca de preços mais baixos para não afetar seus balanços e retorno aos acionistas.

De acordo com o site, a Suzano já teria desistido do negócio, enquanto a Fibria, que afirmou não conduzir nenhuma negociação pela compra da Eldorado, pode não dar sequência ao investimento, sem ainda se posicionar oficialmente. Na soma de janeiro a maio, o volume de produção foi de 730 mil toneladas, 12% maior do que no mesmo período de 2016.


A companhia informou também que produziu em maio 122 mil MW de geração de energia, outro recorde, com exportação de 21 mil MW, equivalentes a 28,6 MWh médios.

"A alta performance das operações e a gestão com foco na competitividade são os diferenciais que colocam a Eldorado em posição de destaque no mercado global de celulose", afirma o presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich.

A empresa alcançou um novo patamar para a indústria global, com a produção de 156.384 toneladas de celulose em maio e uma média diária de 5.045 toneladas de celulose.


Popular

CONNECT