Incêndio gigantesco deixa 24 mortos em Portugal

Muitas das vítimas ficaram presas em seus carros enquanto as chamas atingiram a estrada que corta a região. Dez pessoas foram encontradas mortas em ambiente rural.

Diversos países lamentaram a tragédia e ofereceram ajuda no combate às chamas, que continuam fora de controle.

Segundo o jornal português "Jornal de Notícias", uma criança de quatro anos e seu tio foram as primeiras vítimas a serem reconhecidas. O carro em que eles estavam se envolveu em um acidente com outro veículo, em Nodeirinho. Queimou tudo. Tudo. Foi tudo muito rápido, não entendo como isso aconteceu, não sei como explicar! A hipótese de incêndio criminoso foi descartada e as equipes de resgate, com cerca de 1,6 mil integrantes, estão mobilizadas. "Encontramos uma árvore atingida por um raio", afirmou. Apesar do trabalho de cerca de 750 bombeiros, pelo menos cinco frentes de incêndio permaneciam ativas.

Portugal começa esta manhã a acordar e a ganhar consciência da trágica que se vive no distrito de Leiria. Já o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, alertou que aldeias estavam "completamente cercadas" pelo fogo.

O governo decretou três dias de luto nacional, em homenagem às 62 vítimas mortais do incêndio que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande. Antonio Costa está a preparar o plano de resposta do Estado face às consequências do incêndio.

"Nossa dor é imensa, assim como nossa solidariedade com as famílias da tragédia", declarou no domingo à noite o presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, ainda emocionado com a maior tragédia da história recente de Portugal. Toda sua agenda foi cancelada.

O primeiro-ministro Antonio Costa disse que as equipes de combate a incêndios estavam tendo dificuldades em se aproximar da área porque o fogo era "muito intenso". "É uma tarde bastante difícil, com situações complexas, que ainda se mantêm e são situações que nos preocupam", afirmou Elísio Oliveira. "Quero expressar minha proximidade à querida população portuguesa atingida por um incêndio devastador que causou mortos, feridos e destruição", disse o Pontífice pedindo para os fiéis rezarem em silêncio.

O sábado foi de forte calor no país, com temperaturas que superaram os 40 graus em várias regiões.


Popular

CONNECT