Governo ´torrou´ emendas para obter votos na Câmara

O valor de emendas empenhadas para ele em junho?

O levantamento foi realizado pela Associação Contas Abertas, nesta sexta-feira (14), um dia após a aprovação do relatório favorável a Temer. O tucano recebeu R$ 5,1 milhões em emendas no mês passado. Ligado ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e à ala do partido que defende a permanência da legenda na atual administração, Abi Ackel elaborou o segundo parecer, aprovado na comissão, que recomendou a rejeição da denúncia contra Temer. Os parlamentares que votaram pela admissibilidade da denúncia, por sua vez, receberam R$ 66 milhões no mesmo período, aproximadamente metade do montante recebido pelos deputados pró-Temer.

Dois aliados de Temer que assumiram uma cadeira na CCJ nas vésperas da votação também aparecem na lista dos mais "abonados" com emendas em junho: são eles os deputados Beto Mansur (PRB-SP) e Carlos Marun (PMDB-MS), que receberam 5 milhões de reais cada. Foram R$ 5 milhões empenhados pelo Planalto em junho para o ex-prefeito de Santos (SP), que se tornou integrante titular da CCJ 2 dias antes da votação, no troca-troca feito pelo governo para garantir que a denúncia fosse barrada. Em junho, foram mais de R$ 2 bilhões destinados a deputados de 27 partidos e bancadas estaduais. Os peemedebistas contaram com R$ 284,2 milhões empenhados para emendas de seus parlamentares.


O governo aposta na distribuição de cargos e de emendas para barrar a denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República contra Michel Temer.

O presidente agradeceu os parlamentares da base aliada que, segundo ele, "com coragem cívica", votaram "em defesa da Constituição Federal e da democracia". Um deles, o empresário Joesley Batista, gravou o peemedebista no Palácio do Jaburu em março.


Popular

CONNECT