Votos a favor de Temer somam R$ 134 milhões em emendas

Dos sete deputados federais do PSDB, com assento na CCJ, cinco votaram favorável ao parecer de Sérgio Zweiter, e somente dois, incluindo aí, o relator substituto Paulo Abi-Ackel, que, já de posse de um relatório alternativo, o colocou em votação de imediato, proporcionando essa "vitória" ao governo de Michel Temer, pondo fim a primeira fase da denúncia da Procuradoria Geral da República.

Emendas parlamentares são valores previstos no Orçamento e sua aplicação é definida pelo parlamentar que as recebe, desde que obedecidos critérios como o uso exclusivo em projetos e obras nos estados e municípios.

Abi-ackel recebeu R$ 5,1 milhões no mês passado.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou relatório contrário à aceitação da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. O valor de emendas empenhadas para ele em junho? Em segundo e terceiro lugares estão os deputados Beto Mansur (PRB) e Carlos Marun (PMDB), ambos com R$ 5 milhões. O parlamentar, vice-líder do governo, entrou no lugar de Lincoln Portela (PRB-MG). O valor total: R$ 134 milhões às vésperas de uma das votações mais importantes para o Planalto. Marun também participou da troca de cadeiras na CCJ e entrou na vaga de José Fogaça (PMDB-RS), que passou para a suplência.

Ao todo, R$ 2 bilhões foram empenhados só no mês passado para parlamentares de 27 partidos e bancadas estaduais.

Entre janeiro e maio deste ano, por exemplo, o governo federal liberou em torno de R$ 102 milhões em emendas para todos os parlamentares. Já as bancadas do Maranhão, Rio Grande do Norte e Roraima tiveram empenhados R$ 220,4 milhões empenhados em junhos e contabilizaram seis votos a favor de Temer na Comissão. Agora o texto seguirá para plenário e, para que a denúncia não seja aceita, Temer precisará de 172 votos.

Após a sessão da CCJ, as principais associações de comércio e serviços do Brasil enviaram mensagens aos deputados pedindo celeridade.


Popular

CONNECT