Morreu o ator Martin Landau, de "Espaço 1999" e "Ed Wood"

Nem bem o público cinéfilo se recuperou da morte de George A. Romero, mais uma péssima notícia: Martin Landau morreu aos 89 anos de idade.

O ator morreu no sábado, vítima de "complicações inesperadas" após uma breve hospitalização num centro médico da Universidade da Califórnia, segundo o portal especializado em notícias sobre celebridades.

Nesse mesmo ano, entrou para o elenco original de "Missão Impssível" no papel do mestre do disfarce Rollin Hand que lhe valeu um Globo de Ouro.

Martin Landau deixa duas filhas, a cineasta Susan Landau Finch e a atriz e bailarina Juliet Landau, fruto de seu casamento com a atriz Barbara Bain, com quem contracenou em "Missão Impossível".

O auge de Landau ocorreu em 1995, quando ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante pela representação do diretor Bela Lugosi (1882-1956) em "Ed Wood", de Tim Burton.

Nascido em Brooklyn (Nova Iorque) a 20 de junho de 1928, o ator trabalhou no grafismo do "New York Daily News" antes de se ter estreado como ator.

Landau começou carreira nos palcos da Broadway, até que, em 1959, fez sua estréia no cinema pelas mãos de Alfred Hitchcock no filme "Intriga internacional", junto com Gary Grant e Eva Marie Saint.

No grande ecrã, Landau será ainda recordado pelas interpretações em "Tucker: O Homem e o seu Sonho", de Francis Ford Coppola, em 1988, e "Crimes e Pecados", de Woody Allen, em 1989.

Além de uma extensa carreira no cinema e na televisão, Landau ainda foi professor do famoso Actors Studio, onde deu aulas para lendas da atuação como Jack Nicholson e Anjelica Huston.


Popular

CONNECT