MPF denuncia Geddel por obstrução de Justiça

Pessoas próximas a Temer, como o ex-ministro Geddel Vieira Lima, o ministro Eliseu Padilha e o ex-assessor de Temer José Yunes devem ser citados no depoimento. Por causa do episódio Calero e Geddel deixaram o governo em novembro do ano passado.

Em outra frente, o MPF também ofereceu ao juízo da 5ª Vara Federal Civil do DF ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra Geddel.

Na denúncia, o Ministério Público Federal (MPF) cita as ligações de Geddel para a esposa de Funaro, Raquel Pitta.

A acusação tem como base a suposta pressão exercida pelo peemedebista para que o corretor Lúcio Funaro permanecesse em silêncio e não fizesse acordo de colaboração premiada.

O crime de obstrução da Justiça enquadra-se em artigo da Lei das Organizações Criminosas que prevê pena de 3 a 8 anos de prisão para "quem impede ou, de qualquer forma, embaraça a investigação de infração penal que envolva organização criminosa".


Na ação em que pedem a condenação de Geddel por obstrução de justiça, a força-tarefa Greenfield faz um relato do objeto das investigações realizadas no âmbito das operações Sépsis e Cui Bono, que têm, entre os investigados, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro.

Em depoimento à PF, Raquel também detalhou as abordagens que recebeu do ex-ministro. Na ocasião, no ano passado, o então ministro da Cultura, Marcelo Calero, acusou o peemedebista de tê-lo pressionado para que o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) desse sinal verde para a construção de um empreendimento imobiliário em Salvador no qual Geddel tinha comprado um apartamento.

Se condenado, o ex-ministro pode pegar reclusão de três a oito anos, além de multa. "Vislumbra-se na conduta do requerido a violação a princípios da administração pública, notadamente os princípios da honestidade, da moralidade, da imparcialidade, da legalidade e da lealdade às instituições, uma vez que se utilizou do cargo de ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência para atender interesse pessoal e particular", pontua o procurador, na ação.

Brasília - O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que o presidente Michel Temer "quer transformar o partido em um puxadinho do governo".

Brasília - Com a simpatia do presidente Michel Temer e do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, um grupo de parlamentares decidiu trabalhar pela.


Popular

CONNECT