Famoso telescópio de Arecibo, em Porto Rico, é afetado pelo furacão Maria

Apesar de não causar mais tanta ameaça, como em Porto Rico e Dominica, seus efeitos na costa dos EUA já deverão ser sentidos até a noite de domingo, 24, onde podem ocorrer "correntes marítimas perigosas" ao longo das praias do sudeste americanas, segundo previsão dos meteorologistas.

A passagem do furacão Maria, ao longo do dia de quarta-feira, enfraqueceu-a quase ao ponto do colapso, levando os serviços porto-riquenhos a ordenar a evacuação de duas aldeias e avisar as populações locais de que deviam colocar-se em territórios elevados, de forma a escaparecem às previsíveis cheias súbitas.

Mais de 70.000 habitantes receberam ordens de evacuar a região noroeste de Porto Rico pelos danos causados em uma represa que pode se romper, mais um capítulo da série de calamidades provocadas pelo furacão Maria, que neste sábado se deslocava para mar aberto.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, o Maria deve se afastar das ilhas nos próximos dias, mas o instituto emitiu um alerta de furacões para as Ilhas Turcas e Caicos, que devem sentir os efeitos dos ventos na sexta-feira (22). O governador porto-riquenho, Ricardo Rosselló, afirmou que há ao menos um morto no país, um homem atingido por uma peça de madeira lançada por ventos fortes.

O "Maria" está agora a afectar a República Dominicana e mais de 17 mil pessoas foram retiradas.

O presidente americano, Donald Trump, declarou o território "zona de grande desastre", o que libera fundos ilimitados de ajuda federal para a ilha. Cerca de 1.255 casas no país foram danificadas pela tempestade, informou o Centro de Operações de Emergência do país em um comunicado. Toda a ilha de Porto Rico estava sob alerta de inundações no início desta quinta-feira, enquanto o final da tempestade poderia trazer de 10 a 20 centímetros de chuva.


Popular

CONNECT