Morreu D. Manuel Martins, Bispo Emérito de Setúbal

"É com tristeza que recebo a notícia do falecimento de D. Manuel Martins, grande referência da consciência social".

Por sua vez, o primeiro-ministro também já lamentou a morte do bispo emérito de Setúbal, uma "grande referência da consciência social", afirmando que a "melhor homenagem à sua memória é a ação pela erradicação da pobreza".

"Conheci Dom Manuel Martins e pude comprovar as preocupações sociais que sempre exprimiu, o seu inconformismo permanente na luta contra a pobreza e a sua solidariedade", refere Eduardo Ferro Rodrigues, numa mensagem de pesar publicada no site do Parlamento português.

Apesar de, nos últimos anos, ter sido elogiado por personalidades de diferentes quadrantes políticos, Manuel Martins foi - de forma aberta ou velada - criticado por figuras que ocuparam os mais altos cargos públicos durante anos, como Mário Soares ou Cavaco Silva.


O Presidente da República condecorou a título póstumo o bispo do Porto, no passado 25 de Abril, com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago e Espada.

"É uma grande perda para a Igreja e também para a sociedade", reforçou.

Manuel Martins, bispo de Setúbal entre 1975 e 1998, morreu hoje aos 90 anos, informou, em comunicado, a Diocese de Setúbal.

A coordenadora do BE considerou hoje que a melhor homenagem a fazer a um homem como o bispo emérito de Setúbal Manuel Martins, a "voz dos pobres quando foi preciso", é "lutar todos os dias para erradicar a pobreza". Na nota da Santa Casa lê-se ainda que o bispo foi um "verdadeiro príncipe do povo junto da igreja".


Popular

CONNECT