Sindicato de funcionários dos Correios questiona acordo divulgado pela estatal

Em meio à greve dos funcionários, os Correios irão fazer um mutirão neste fim de semana para entregar correspondências atrasadas na região.

Na manhã da última quarta-feira (20), os trabalhadores realizaram uma manifestação em frente ao prédio Central da Pituba para discutir o andamento do movimento grevista.

Segundo os Correios, a empresa sempre esteve aberta a negociação e que foi a Fentect quem decidiu iniciar a paralisação antes de ter encerrado a negociação das cláusulas previstas no acordo coletivo. "Nessa sexta não houve assembleia porque não houve nenhum informe ainda, por conta disso, então a greve continua", afirmou Edilson Santos. Todas as unidades estão abertas, mas com atendimento deficitário - explica.

Nesta sexta-feira (22), os Correios divulgaram uma nota informando que chegaram a uma proposta de acordo coletivo de trabalho para o biênio 2017/2018 com a Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios). A Findect é formada por servidores dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins e Maranhão.


Já a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) informou que aguarda uma proposta formalizada por parte da empresa. "Ainda, é de causar estranheza à categoria que os Correios apresentem uma proposta à Findect, federação não regularizada oficialmente no Ministério do Trabalho", disse a nota.

Conforme assessoria dos Correios, dados contabilizados hoje indicam que no Brasil, 91,3% dos funcionários estão trabalhando, índice que representa 99.130 empregados.

"A atitude da Fentect coloca em risco não apenas a qualidade dos serviços prestados aos clientes e à população brasileira, mas compromete a sustentabilidade dos Correios e prejudica todo o esforço realizado durante este ano para reverter a situação financeira da empresa", finalizam.


Popular

CONNECT