3 mortos, 9 presos e 18 fuzis apreendidos — Cerco à Rocinha

Tiros foram registrados também nas imediações da rua Conde de Bonfim, importante via do bairro, ladeada por várias favelas dominadas pelo tráfico, e também na entrada do morro do Salgueiro. Na véspera, confrontos entre criminosos, policiais e militares ocorreram na favela e em outros pontos da cidade.

Além de Celsinho, também tiveram as prisões decretadas Emerson Brasil da Silva, o Raro, chefe do tráfico da Pedreira, em Costa Barros, na zona norte do Rio, e Leonardo Miranda da Silva, o Léo Empada, apontado como o homem designado pela facção para chefiar o bando que saiu do São Carlos para retomar a Rocinha.

O Batalhão de Choque fazia uma operação próxima dali, no morro do Turano, que fica na Tijuca, zona norte.

A comunidade é dominada pelo Comando Vermelho, facção rival da Amigos dos Amigos (ADA), que comanda a Rocinha.

Um novo tiroteio foi registrado, por volta das 13h deste sábado, na Rocinha, em São Conrado, Zona Sul do Rio. Para isso, são utilizadas 10 viaturas blindadas e helicópteros das Forças. Um grupo de traficantes tentou deixar a Rocinha ao de render um taxista, mas foram interceptados por homens das Forças Armadas. Mais três batalhões do Exército, que somam quase 3 mil homens, estão prontos, caso a situação se agrave. Segundo a Polícia Militar, ela foi socorrida ao hospital e não há informações sobre seu estado de saúde. Danúbia, que é foragida e ostenta alto poder aquisitivo nas redes sociais, também estaria no local.

Na Segunda-feira passada, 18, o porta-voz da Polícia Militar do Rio, major Ivan Blaz, e o delegado-titular da 11ª DP (Rocinha), Antônio Ricardo, admitiram que sabiam que poderia haver confronto entre traficantes na Rocinha no dia anterior. Durante a madrugada, não houve confronto entre as forças de segurança e traficantes de drogas. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal.


Popular

CONNECT