Santana Lopes avança com candidatura à liderança do PSD

No encontro, "falámos do sistema financeiro português", admitiu Marcelo, sem se alongar nos comentários.

"O objetivo era, obviamente, falar de um tema que tem a ver com o cargo que desempenha, só isso", garantiu o Presidente da República, referindo-se a Santana Lopes como o atual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.
E só um deles almoçou com Marcelo, ele que em tempos foi presidente do PSD... Mas o encontro aconteceu mesmo, tendo Santana Lopes saído de Belém por volta das 14h00.

A continuar o périplo de contactos, segundo a informação avançada Expresso, o antigo primeiro-ministro terá contactado António Costa, assim como o ministro da Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva - que tutela a SCML - e que lhe terão reconhecido a Santana Lopes o "dever cívico" de participar na vida política.

A confirmar-se a disponibilidade, Santana é o segundo candidato a concorrer à liderança do PSD.


O Conselho Nacional do PSD vai reunir-se hoje para marcar as datas das eleições diretas para o cargo de presidente do partido e do Congresso que elegerá os novos órgãos nacionais, no ciclo pós-liderança de Pedro Passos Coelho.

Já na sexta-feira, em artigo de opinião assinado no Correio da Manhã, Santana Lopes não esclareceu se será candidato mas foi adiantando que está a preparar um programa para o PSD.

Antes, o ex-líder parlamentar Luís Montenegro e o eurodeputado Paulo Rangel também ponderaram, mas já anunciaram que não serão candidatos.

Santana vai ter pelo menos um adversário: Rui Rio, que vai apresentar a sua candidatura à liderança do PSD amanhã, em Aveiro. "Nesta fase, os programas são muito importantes, por mim, é disso que estou a cuidar estes dias", escreve o antigo primeiro-ministro.


Popular

CONNECT