Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow acusam produtor de Hollywood de assédio sexual

Asia Argento, de 42 anos, filha do cineasta Dario Argento, afirmou que Weinstein a forçou a fazer sexo oral nele há 20 anos.

Paltrow afirmou ter sido convocada para um encontro com Weinstein em seu quarto de hotel durante as gravações de "Emma", quando tinha 22 anos de idade.

A declaração de Hillary Clinton relativamente às acusações feitas a Harvey Weinstein era bastante esperada e o silêncio da antiga secretária de Estado estava a gerar imensas críticas, uma vez que o produtor foi, ao longo dos anos, um dos maiores financiadores das campanhas eleitorais do Partido Democrata. "Eu era uma criança, tinha acabado de assinar o contrato e fiquei petrificada", disse Gwyneth.

Em um artigo do The New York Times - que revelou o escândalo na semana passada - Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow descrevem encontros similares, durante os quais rejeitaram avanços insistentes de Weinstein.

Jolie contou que foi assediada pelo produtor em um quadro de hotel durante a divulgação do filme "Corações Apaixonados", em 1999.

De igual maneira, Glen Close espera que o caso sirva para a indústria do Cinema ter mais atenção à igualdade de género e que será preciso que "homens e mulheres se unam para criar uma nova cultura na base do respeito".

Para além disso, segundo o Daily Mail, a Fundação Clinton terá recebido doações no valor de 250 mil dólares (perto de 213 mil dólares) de Harvey Weinstein. No Twitter, disse que a empresa de Weinstein sempre soube dos assédios. "Quaisquer alegações de sexo não consensual são inequivocamente negadas pelo sr".

"Face ao surgimento, nos últimos dias, de novas informações relativas à má conduta de Harvey Weinstein, os directores da The Weinstein Company - Robert Weinstein, Lance Maerov, Richard Koenigsberg e Tarak Ben Ammar - decidiram rescindir com Harvey Weinstein", indicou a mesma nota. O pequeno estúdio independente tornou-se conhecido por apostar em filmes que viriam a ganhar Oscars, como "A Paixão de Shakespeare", ou "Chicago".

Outro caso citado na The New Yorker é o da modelo Ambra Battilana Gutiérrez, ex-finalista do Misse Itália, que Weinstein "tocou os seios e tentou meter a mão sob a saia" durante uma reunião em Nova York, em 2015. Uma delas também disse ter sido forçada a realizar sexo vaginal. "Eu tive uma experiência ruim com Harvey Weinstein na minha juventude, e como resultado, escolhi nunca trabalhar com ele de novo e avisar a outras pessoas disso. Weinstein acredita que todas as relações sexuais com estas mulheres foram consensuais".

A reação de Harvey Weinstein, de 65 anos, surgiu a dois tempos.


Popular

CONNECT