Comissão entregou relatório sobre fogo de Pedrógão Grande na Assembleia da República

Decisões, só depois de dia 21, data para que foi marcado um Conselho de Ministros extraordinário só para analisar o documento que esta quinta-feira foi entregue na Assembleia da República pela Comissão Técnica Independente, criticando o amadorismo dos bombeiros e apontando falhas no comando da Proteção Civil.

O Governo precisa de tempo para ler e reflectir sobre as conclusões e recomendações que constam do relatório feito pela Comissão Independente sobre a tragédia de Pedrógão Grande, mas já vai admitindo que as sugestões feitas pelos peritos deverão ser integradas na reforma florestal promovida pelo Executivo e que poderão ser retiradas consequências políticas "se for caso disso". "A Comissão divulgou uma curta nota". António Costa, que tinha ao seu lado os ministros da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e da Agricultura, Capoulas Santos, falou aos jornalistas depois de ter estado reunido mais de uma hora com o coordenador da Comissão Técnica Independente, João Guerreiro. Iremos tirar todas ilações que temos a tirar e assumiremos as responsabilidades.

"Pela parte do Governo, por respeito pela Assembleia da República, por respeito pelos profissionais que elaboraram este relatório, mas, sobretudo, por respeito pelas vítimas e seus familiares, o que nos compete é fazer uma reflexão serena sobre a informação disponível e as recomendações apresentadas".

António Costa sublinhou ainda que espera que este relatório seja a base de um consenso político e social alargado, que permita ao país "evitar a ocorrência de tragédias" como a de Pedrógão Grande.

António Costa adiantou ainda que, na próxima semana, será apresentado um outro relatório, este do professor Francisco Xavier Viegas, sobre a dinâmica do fogo. A principal conclusão é que se tratou de "um desastre antecipado".


Popular

CONNECT