Aprovada declaração unilateral de independência — Catalunha

Os deputados do PPC, ao contrário do que chegaram a dizer, mantiveram-se nos seus lugares no início da discussão, tendo coberto a sua bancada com bandeiras de Espanha e da Catalunha antes de deixarem a sala do plenário.

Os deputados que defendem o Governo catalão acabaram de votar a declaração unilateral de independência.

"Constituir uma República Catalã como um Estado independente, soberano, democrático e social".

Peço para "proceder à cessação do presidente da Generalitat da Catalunha, do vice-presidente e dos conselheiros" do Executivo regional, disse Rajoy, sob os aplausos dos senadores, na maioria membros do seu partido (Partido Popular), esta manhã.


Enquanto em Madrid se discute e vota a aplicação de um artigo que permite ao Governo intervir diretamente na Catalunha, destituir o governo catalão e tomar conta da polícia regional, em Barcelona o parlamento regional catalão, com uma maioria de deputados independentistas, aprovou a desejada declaração unilateral de independência (DUI), uma decisão esperada há meses e que se arrisca de não ser aplicada.

No Twitter, Mariano Rajoy já reagiu ao 'sim' à independência, pedindo "tranquilidade a todos os espanhóis" e garantindo que "o Estado de Direito vai restaurar a legalidade" na Catalunha.

O Governo de Puigdemont organizou no dia 1 de outubro um referendo ilegal de autodeterminação: os independentistas afirmam que venceram com 90% dos votos, mas com uma taxa de participação de apenas 43%. Antes do desfecho, na Catalunha declarou-se unilateralmente a independência.


Popular

CONNECT