Líder da máfia siciliana morre na prisão aos 87 anos

Morreu esta sexta-feira aos 87 anos o chefe da máfia siciliana Salvatore Riina, conhecido como 'Totò Riina', avança a imprensa italiana.

O "chefe dos chefes", de 87 anos, condenado a 26 penas de prisão perpétua e suspeito de matar mais de 150 pessoas, estava em coma induzido há vários dias, depois de duas cirurgias que agravaram seu estado de saúde. Entre as vítimas estavam dois juízes de combate à máfia, Giovanni Falcone e Paolo Borsellino, que trabalharam sem parar para levar a julgamento, em 1987, mais de 300 criminosos.

Riina faleceu na unidade carcerária do hospital de Parma, norte da Itália, de acordo com os principais jornais do país e a agência de notícias ANSA. Tinha cancro nos rins, Parkinson e problemas cardíacos. Quando tinha 19 anos, ele matou um homem durante uma briga de gangues em Corleone e passou seis anos na prisão, um rito de passagem para um mafioso. Riina supervisionou um período econômico florescente para o grupo do crime organizado "Cosa Nostra", quando traficava heroína para a América do Norte e dominava o poder político em Palermo (capital da Sicília) e Roma.


Durante anos ele negou pertencer à Cosa Nostra, mas em 2009 admitiu implicitamente seu papel na organização criminosa. A prisão de Riina em janeiro de 1993, após mais de 20 anos como fugitivo, ocorreu meses após Falcone e Borsellino serem mortos por ordem dele, e coincidiu com a queda tumultuosa do sistema político corrupto da Itália do pós-guerra.

Toto Riina rejeitou as acusações e afirmou que não conhecia a máfia, alegando que vivia na clandestinidade para fugir de acusações falsas. Giovanni, o filho mais velho de Riina, cumpre uma pena de prisão perpétua por quatro assassinatos. "Para mim, você não é Toto Riina, você é apenas meu pai. Te amo", escreveu seu outro filho, Salvatore, no Facebook na quinta-feira, dia do aniversário do criminoso. Quando voltou para Corleone, Toto Riina e o seu amigo de infância, Bernardo Provenzano, que lideraria Cosa Nostra após a prisão de Riina, ficaram sob a influência de Luciano Leggio.

Apesar de estar na prisão, Riina continuou a ser o cabecilha de muitas ações criminosas, tais como o assassinato de um menino de 13 anos, raptado para que o pai não revelasse informações sobre a máfia. Desde então, Riina esteve detido sob medidas de alta segurança com pouco acesso a sua família, Recusando-se a cooperar com os investigadores até o fim, os segredos de Riina agora nunca serão conhecidos.


Popular

CONNECT