Monalysa Alcântara se manifesta sobre Dia da Consciência Negra

A data alusiva ao Dia Nacional da Consciência Negra foi instituída na Casa de Leis do Estado, por meio da Resolução 36/2009, de autoria do deputado estadual Amarildo Cruz (PT), que atua fortemente no combate à discriminação racial. Na abertura do evento, foram apresentadas diversas atrações, como a caretada da APAE, exposição de fotos "Faces Negras", conversa com Dario Alegria, apresentações de dança com o professor Marcão e dinâmicas com o professor Aberrê.

O Prefeito Olavo Condé parabenizou a iniciativa do Legislativo em celebrar uma data tão importante.

Depois de uma intervenção cultural e da apresentação do hino nacional brasileiro no ponto de saída, os participantes seguiram pelas ruas do Centro cantando músicas tradicionais da cultura negra. Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003.

O parlamentar sul-mato-grossense abordou sobre a solenidade que tenta resgatar a luta de personalidades contra o racismo, tanto que a medalha leva o nome de "Zumbi dos Palmares", que foi um dos maiores símbolos da resistência negra a escravidão, na época do Brasil Colonial. O dia 20 de novembro foi escolhido, pois neste dia, no ano de 1695, morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares. Elena nasceu branquinha, dupla nacionalidade, sobrenome italiano, mas isso não a faz não ser de uma origem africana, isso não a faz não ser negra, a não respeitar e não se sentir parte da história de um povo q é seu povo.essas coisas devem ser ensinadas aos nossos filhos por todas as famílias, preto, branco.somos todos misturados, somos todos iguais e não existe raça pura.

Nós sabemos que, historicamente, os negros, além de terem sido escravizados por quase três séculos, sendo tratados de forma desumana, até hoje ainda vivem à margem da sociedade brasileira, já que são as principais vítimas de mortes, encarceramento e preconceito.


Popular

CONNECT