PF deflagra a 47ª fase da Operação Lava Jato

Cerca de 40 agentes realizam as ações na Bahia, Sergipe, Santa Catarina e São Paulo.

PF entrando em residência de Itabaiana.

O ex-gerente da Transpetro José Antônio de Jesus foi preso temporariamente pela PF (Polícia Federal) nesta terça-feira (21), na 47ª fase da Operação Lava Jato.

A Transpetro, também por meio de nota, se disse "vítima nestes processos" e afirmou estar apurando as denúncias contra José Antônio de Jesus. O mandado contra ele é temporário.

O Ministério Público Federal (MPF) foi procurado pela NM em meados de 2016, após a empresa ser citada na delação premiada de Sergio Machado, do PMDB, ex-presidente da Transpetro. Ainda conforme o MPF, os valores teriam sido recebidos entre setembro de 2009 e março de 2014.

A atual fase foi batizada de Sothis e também cumpre oito mandados de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Segundo o MPF, o ponto de partida das investigações foi a colaboração premiada de executivos da empresa investigada.

Ela reforçou que o já conhecido esquema de loteamento político na Petrobras se estendeu à Transpetro, com a formação de cartel de empresas e pagamentos de propinas. Para dissimular o acordo, o dinheiro foi pago a contas bancárias de terceiros, inclusive uma empresa que, segundo a Lava-Jato, pertence a um filho do ex-gerente. O ex-gerente se desligou da subsidiária da Petrobras recentemente. A propina saía da conta bancária da empresa de engenharia para a conta bancária de empresa do filho sem qualquer contrato ou justificativa para o repasse do dinheiro.

De acordo com a investigação, o ex-gerente teria pedido pagamento, em forma de propina, de 1% do valor dos contratos da empresa com a Transpetro, mas o valor final ficou em 0,5%.

Os envolvidos responderão por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O preso, que ainda não foi identificado, será lebado para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.


Popular

CONNECT