Merkel anuncia que prefere nova eleição a governo de minoria

Schinas adiantou que o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, já falou com Merkel pelo telefone sobre a situação política na Alemanha, onde a chanceler, Angela Merkel, não conseguiu formar governo após um mês de negociações com os partidos liberal e ecologista. Merkel poderá tentar uma reaproximação com os social-democratas do SPD, o que é pouco provável, já que eles preferem ficar na oposição; a segunda hipótese é a formação de um governo minoritário, símbolo de instabilidade no Parlamento; e a última opção seria a convocação de novas eleições em 2018.

Desde as eleições de setembro passado, a CDU (União Democrata Cristã) de Angela Merkel, a União Social-Cristã (CSU), o FDP e Os Verdes, negociavam para alcançar um acordo prévio que lhes permitisse iniciar negociações formais de coligação. Durante as negociações, os Verdes acusaram os integrantes do Partido Democrático Liberal (FDP, na sigla em alemão) de intransigência. A história tem ditado a formação de coligações assentes em acordos prévios que servem como programa comum de governo às forças políticas que compõem a coligação.

Angela Merkel enfrenta a sua pior crise política em 12 anos de poder no seguimento do fracasso nas negociações para a formação de governo. Ela já descartou tocar a Alemanha com 'governo de minoria'.

"Meu ponto de vista é de que novas eleições seriam um melhor caminho", disse Merkel à emissora ARD em entrevista a ser exibida mais tarde, reforçando que seus planos não incluem ser uma chanceler em um governo de minoria.

Agora, dentro de alguns sectores da CDU, há preocupação com a paulatina perda da identidade conservadora do partido, o que, de quebra, contribuiu para fortalecer à ultra-direitista Alternativa para a Alemanha (AfD). De madrugada, depois de um mês de negociações, os conservadores de Merkel (CDU-CSU), os liberais (FDP) e os ambientalistas não conseguiram fechar a coalizão.

Em primeiro lugar, porque as siglas poderiam ser responsabilizadas pelos eleitores pelo fiasco político e, dessa maneira, perder votos. Certo é que Merkel vai informar o presidente de que não será possível formar um Governo tripartido, a que se tem apelidado de "coligação Jamaica" (devido às cores dos partidos que a compunham), passando assim a bola ao chefe de Estado. Outra opção é persuadir o SPD de Schulz a formar uma coligação majoritária para, assim, governar com mais efetividade. "Não temos medo de novas eleições".


Popular

CONNECT