Blitz Educativa pelo fim da violência contra as mulheres acontece nesta sexta

Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, de Santa Cruz do Sul, realiza nesta quinta-feira, 23, e no sábado, 25, o XIV Seminário pela Articulação da Rede de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência.

Desde sua primeira edição, em 1991, a campanha já conquistou a adesão de cerca de 160 países. "A essência do tema de hoje 'Não deixar ninguém para trás' é que ninguém deve ser deixada de fora. Por isso a campanha tem início no Dia da Consciência Negra", lamenta o vereador que completa: "estou empenhado nessa discussão pois entendo que essa não é uma luta apenas das mulheres, todos precisamos unir forças para enfrentar o problema". A situação ainda é mais agravante quando entre as mulheres que sofreram violência, 52% se calaram. "A cor laranja é vibrante e otimista e representa um futuro livre de violência".


Prédios icônicos - Edifícios e monumentos emblemáticos são iluminados de laranja - cor representativa da mobilização pelo fim da violência de gênero - para incentivar cidadãs e cidadãos do mundo a participar em marchas e concentrações, em shows e festivais públicos durante os 16 Dias de Ativismo.

Guterres ressaltou ainda que a organização está empenhada em combater a violência contra a mulher sob todas as suas formas, no evento que marcou antecipadamente o Dia Internacional para a Eliminação da Violência a Mulheres.

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no Brasil, no período 2011-2013, estima-se que ocorreram 17.581 óbitos de mulheres por agressões, o que corresponde a uma taxa corrigida de mortalidade anual de 5,87 em cada 100 mil mulheres.


Popular

CONNECT