Oswaldo de Oliveira define escalação do Atlético para confronto com Corinthians

A arena recebeu o segundo maior público do ano e os 46 mil presentes vibraram com o hepta e viram um jogo bastante movimentado. O empate em 2 a 2, porém, acabou sendo o resultado mais justo e deixou o Galo em situação delicada na sua briga para chegar à sexta Libertadores consecutiva.

O Corinthians bem que tentou não ser atrapalhado pelo clima de euforia da torcida e pela expectativa pela entrega da taça. Liderado por Jadson, que criou as jogadas mais perigosas da partida, o time de Fábio Carille encurralou o Atlético-MG e, só no primeiro tempo, finalizou nove vezes contra a meta defendida por Victor. Primeiro, Otero marcou um golaço de falta, e depois Marquinhos Gabriel marcou outro num chute no ângulo.

Logo depois o placar da partida ficou mais adequado às atuações. Arriscou com Rodriguinho e com Jadson por duas vezes, em uma delas o meia carimbou o travessão de Victor. Aos 19 minutos do segundo tempo, Fred deixou tudo igual.

A festa, porém, começou bem antes do goleiro corintiano exibir o troféu.


Aos poucos o fim do jogo se aproximava e o empate pareceu de bom tamanho para todos. A esperança do Galo é que o Timão entre em campo com mais reservas e assim ficaria mais fácil a vitória. Mais cedo, também ficou indiferente à falha de Cássio, que não dominou a bola após um recuo e por pouco não sofreu gol contra.

Afinal, o dia era de festa.

Após o empate no jogo da entrega da taça, o Corinthians vai fechar a sua campanha em jogo contra o Sport, marcado para o próximo domingo, às 17 horas, na Ilha do Retiro, em Recife. Estando a apenas dois ponto de distância do Botafogo, último time no G7, e com o mesmo somatório que o Vasco, o Atlético-MG precisa vencer em São Paulo torcendo por um tropeço do Glorioso e pela vitória do Cruzeiro sobre o Cruz Maltino. Tirou o volante Camacho e colocou o meia-atacante Marquinhos Gabriel, que foi o responsável pelo gol da virada.


Popular

CONNECT