Oficial: Centeno é candidato ao Eurogrupo

"O Governo português apresentou esta manhã a candidatura do ministro das Finanças, Mário Centeno, à presidência do Eurogrupo", diz em comunicado o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

Mário Centeno é apontado como o favorito, desde logo porque é conhecido que o órgão onde têm assento os ministros das Finanças da zona euro está mais inclinado para um novo presidente de esquerda e também pelo facto de ter conseguido bater recordes de várias décadas ao nível de défice e de crescimento da economia. O responsável do Governo que falou com o PÚBLICO não quis precisar qual era o país, mas tudo indica que se trate da Eslováquia, cujo ministro das Finanças, Peter Kazimír, tem tentado ser o candidato socialista. Mas a lista definitiva de candidatos só será conhecida no dia 1 de Dezembro, segundo a Reuters.

O sucessor do holandês Jeroen Dijsselbloem será eleito numa reunião que decorrerá na próxima segunda-feira, dia 4 de dezembro.

O ministro das Finanças português vai formalizar a sua candidatura à presidência do Eurogrupo, afirmou ao Dinheiro Vivo fonte próxima do processo.


De acordo com a informações do PÚBLICO, o apoio à candidatura única de Mário Centeno foi dado por primeiros-ministros como Emmanuel Macron, Angela Merkel, Alexis Tsipras, Mariano Rajoy. O ministro português conta, à partida, como o apoio da Alemanha, França, Itália e Espanha, assim como com o voto da maioria dos países do euro governados por socialistas.

O ministro luxemburguês Pierre Gramegna, que pertence à família políticas dos Liberais, também poderá avançar, tendo contra si o facto de a presidência da Comissão Europeia já ser ocupada por um seu compatriota, Jean-Claude Juncker.

A eleição é já na segunda-feira, quando os membros escolherem o terceiro presidente da história do Eurogrupo, que é supostamente um fórum informal, mas no qual foram tomadas das decisões mais importantes na crise económica e financeira.


Popular

CONNECT