Fernando Santos assume favoritismo, mas lembra campanha de Irão e Marrocos

A respeito da própria Espanha, del Bosque vê que a seleção "voltou a sonhar" e "ter esperança", já que conseguiu bons resultados nas Eliminatórias, colocando entre os "três ou quatro" favoritos junto com Alemanha e Brasil. "Mas, quando lemos o grupo com outra atenção, vemos que é um grupo difícil". Boas memórias para Portugal, só nas fases de grupos dos Europeus de 1984 (1-1) e 2004 (1-0) e no célebre amigável em novembro de 2010, quando a Seleção nacional goleou a então campeã europeia e mundial em título por 4-0, com golos de Carlos Martins, Postiga (dois) e Hugo Almeida. Marrocos deixou fora a Costa do Marfim e é uma formação sólida.

"Não podemos nos queixar, mas jogar a partida de estreia contra Portugal é o mais complicado". Além disso, ainda classificou Marrocos e Irã, as outras duas seleções do grupo, como "duas incógnitas" e "anárquicas e lutadoras".

O duelo ibérico vai ser realizado na primeira rodada da chave, em 15 de junho em Sochi, no segundo dia do torneio. Depois de participações tristonhas no Mundial 2014 e no Euro 2016, a Federação espanhola trocou Vicente Del Bosque por Julen Lopetegui e o antigo treinador do FC Porto conduziu a Roja a uma fase de apuramento praticamente imculada: nove vitórias e apenas um empate, frente a Itália, uma das grandes ausentes desta fase final.


Popular

CONNECT