Suspeita de irregularidades nas despesas de refeições de bombeiros

Os casos abrangem 12 associações de bombeiros.

Na sequência das suspeitas, o processo de inquérito, determinado pelo Ministério da Administração Interna, levou já à suspensão do pagamento (durante 20 dias) dos reembolsos nas ocorrências em que foram encontradas desconfianças, nomeadamente, diferenças entre o que foi reportado pelos bombeiros sobre as refeições e os seus documentos comprovativos.

O Ministério da Administração Interna já tem resultados do inquérito conduzido pela Proteção Civil às refeições servidas aos bombeiros.

A equipa da Proteção Civil descobriu indícios "em grande número" de irregularidades nas despesas de alimentação dos bombeiros que estiveram envolvidos em operações de combate a incêndios no passado mês de agosto, de acordo com o DN.

Agora, o ministério tutelado por Eduardo Cabrita vai proceder à audição das entidades dos corpos de bombeiros para que estas expliquem as condições e os contornos em que apresentaram os processos de reembolso de despesa.

Jorge Gomes, que entretanto abandonou o governo, pediu que fosse aberto um inquérito, depois de várias denúncias de que a comida servida aos bombeiros seria insuficiente e de má qualidade. Tudo somado dá 21,20 euros por operacional, por dia.


Popular

CONNECT