Temer e Morales deixam diferenças de lado em prol de acordos bilaterais

Michel Temer se encontra, nesta terça-feira (5), no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), com o presidente da Bolívia, Evo Morales, após dois adiamentos, em decorrência das cirurgias feitas pelo peemedebista, nas últimas semanas. A proposta permitirá o ligamento entre os portos de Santos, no Oceano Atlântico, ao de Ilo, no Peru, localizado no Oceano Pacífico.

Temer afirmou que a integração física entre os oceanos é "fundamental" e que "a conexão ferroviária facilitará o transporte de produtos e gerará mais prosperidade para nossos povos". Com isto ganhamos todos: cortamos tempo, cortamos distâncias, reduzimos custos, venderemos muito melhor nossos produtos.

Em cerimônia, o ministro da Justiça e de Segurança Pública, Torquato Jardim, e o ministro de Governo da Bolívia, Carlos Romero Bonifaz, assinaram um acordo interinstitucional internacional para o combate ao crime organizado transnacional. O ato de cooperação policial tem o objetivo de fortalecer a prevenção e o combate ao crime organizado, bem como terrorismo, roubo de veículos, tráfico de pessoas, drogas e armas de fogo, entre outros.

A reunião entre Temer e Morales tinha sido adiada duas vezes por problemas de saúde do mandatário brasileiro.

O Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o presidente da Bolívia, Evo Morales, firmaram hoje, em Brasília, termo de compromisso para realização de reunião técnica com objetivo de possibilitar ao Estado a compra de 2 milhões de metros cúbicos de gás diários direto do país vizinho.

No ano passado, quando do impeachment de Dilma Rousseff, Evo Morales fez críticas ao Brasil, chamando o processo de afastamento da então presidente de golpe parlamentar. É também o principal mercado de destino das exportações bolivianas (19%).

Atualmente, o Brasil é o maior parceiro comercial da Bolívia. Em 2016, as trocas comerciais bilaterais somaram 3,8 bilhões de dólares, segundo dados do Ministério de Relações Exteriores do Brasil.


Popular

CONNECT