Bancada do PMDB decide fechar questão a favor de reforma da Previdência

Como mostraram na segunda-feira o jornal O Estado de S. Paulo e o Broadcast, o presidente Michel Temer trabalha para que, pelo menos, seis partidos - PMDB, PSDB, PP, DEM, PRB e PTB - que reúnem 219 deputados, fechem questão a favor da reforma.

A Executiva Nacional do PMDB decidiu nesta quarta (6) fechar questão a favor da proposta de reforma da Previdência Social.

Quando um partido fecha questão, os deputados que votarem de forma diferente da que foi determinada pela legenda podem ser punidos. Ontem (terça, 5), Fábio disse ao Congresso em Foco que obrigar parlamentares a votar como quer o partido - e, neste caso, principalmente o governo - é "violência" e pode provocar estragos na base aliada.

Segundo Jucá, o fechamento de questão vale apenas para a votação na Câmara. "Se nós aprovarmos a reforma, vamos ter um período no ano que vem virtuoso", afirmou.

Questionado se a executiva deve acatar o pedido, ele respondeu: "Acredito que o PMDB já tem maioria para a executiva nacional deliberar sobre o fechamento".

Desde a semana passada integrantes da base cobravam o PMDB para que o partido fechasse questão, "puxando a fila" para outros partidos aliados ao Palácio do Planalto também fazerem o mesmo. "A bancada do PMDB definiu que vai encaminhar essa sugestão para a executiva nacional do partido". Em nota, o presidente do partido, Roberto Jefferson, afirmou que a reforma é primordial para a retomada do crescimento. O governo precisa de 308 votos para aprovar a reforma da Previdência. "Nós vamos, através da comissão de ética, definir a punição de cada um dependendo da postura não só dos votos, mas igualmente do encaminhamento", declarou Jucá, principal responsável pela expulsão da senadora Kátia Abreu (TO) - que, em discurso para comentar o assunto na tribuna do Senado, chamou o peemedebista de "canalha, crápula e ladrão de vidas e almas alheias".

Com 60 deputados, o PMDB não tem unanimidade a favor da reforma da Previdência.


Popular

CONNECT