Após escândalo de doping, vice-premier deixa comitê da Copa

Envolvido nos escândalos recentes de doping que abalaram o esporte na Rússia nos últimos meses, Vitali Mutko resolveu abrir mão de seu cargo atual de presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo no país, que será realizada em 2018.

O Conselho Executivo do COI emitiu uma proibição perpétua ao vice-primeiro-ministro russo, Vitaly Mutko, e ao ex-vice-ministro do esporte, Yuri Nagornykh, de qualquer participação em todos os futuros Jogos Olímpicos por conta do escândalo do doping envolvendo a Rússia.

Mutko foi considerado pelo movimento olímpico como o principal responsável pelo esquema de doping existente no país e que levou a Rússia a ser excluída dos próximos Jogos de Inverno de PyeongChang, em fevereiro.

Há dois dias, o vice-ministro já havia anunciado seu afastamento temporário da presidência da União de Futebol da Rússia.


O político confirmou nesta quarta-feira que apresentou um recurso contra a exclusão ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Mutko, no entanto, segue como presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo do ano que vem.

"Eu acredito que vou sugerir isso [deixar o cargo no comitê organizador], mas quem vai decidir é o chefe de Estado, o chefe do governo e o conselho de supervisão".

O diretor-geral da federação, Alexander Alayev vai assumir o cargo de presidente da entidade. Por isso eu pedi para me suspenderem por seis meses - anunciou ele, aos 59 anos.


Popular

CONNECT