Deputados aprovam "Segunda sem carne" em São Paulo

Além da proibição de carne às segundas, o projeto prevê que haja um cardápio alternativo, todos os dias, para os vegetarianos.

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, dia 27, um projeto de lei que institui a "Segunda Sem Carne" em órgãos públicos do estado.

O projeto igualmente obriga restaurantes, lanchonetes e bares a fixar em local visível ao consumidor um "cardápio alternativo sem carne e seus derivados".

A lei é de autoria do deputado estadual Feliciano Filho (PSC-SP). Os deputados também preveem que o governo faça uma campanha educativa explicando como funcionaria a nova medida.

"São várias questões como o direito dos animais, a crise ambiental, o aquecimento global, a perda de biodiversidade, as mudanças climáticas e as diversas doenças que afligem a população humana, incluindo doenças cardiovasculares, doenças crônicas degenerativas, colesterol elevado, diversos tipos de câncer e diabetes, conforme tem sido apontado por órgãos de saúde pública", escreveu em sua rede social.

A iniciativa é inspirada na campanha "Meat Free Mondays" (segunda sem carne, em tradução livre), encabeçada pelo ex-Beatle e também vegetariano Paul McCartney e que tem o objetivo de "conscientizar as pessoas para uma alimentação sem sofrimento animal". Desde outubro, 15 escolas públicas de Nova York, nos Estados Unidos, não servem mais carne.

Mesmo em São Paulo, já foram implementadas ações nessa linha. Caso seja sancionado, escolas da rede pública e estabelecimentos que fornecem refeições aos órgãos estaduais ficariam proibidos de fornecer carnes e derivados às segundas-feiras.

O governador Alckmin ainda não se pronunciou sobre o assunto.


Popular

CONNECT