Futura estação de trem em Jerusalém já tem nome: "Donald Trump"

Em maio, Trump tornou-se o primeiro presidente dos EUA a visitar o Muro das das Lamentações.

O ministro dos Transportes do país, Israel Katz, afirmou nesta quarta-feira (27/12) que esse é um gesto de agradecimento a Trump, por "sua corajosa e histórica decisão de reconhecer Jerusalém como capital do Estado de Israel". A concretizar-se, envolve a construção de duas estações subterrâneas e a construção de um túnel de três quilómetros de extensão, escavado na Baixa de Jerusalém e passando por baixo da zona da Cidade Velha, politicamente muito sensível. O custo dessa linha, que atenderá, ainda, a cidade de Modiin e o aeroporto Ben Gourion, é estimado em 7 bilhões de shekels (1,69 bilhão de euros), segundo o Ministério.

Segundo a Associated Press, é provável que o projeto venha a ser contestado pela "comunidade internacional" que não reconhece a soberania de Israel em Jerusalém Ocidental. Em 21 de dezembro, a Assembléia Geral da ONU decidiu, com 128 votos a 9, pela condenação da decisão de Trump.

Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental, anexada e ocupada por Israel, como a capital de seu próprio Estado, enquanto Israel proclama Jerusalém como sua capital "indivisível".

Linha ferroviária deve terminar no Muro das Lamentações. Trata-se de um lugar disputado por muçulmanos e judeus, que se referem a ele como o Monte do Templo, um dos locais mais sagrados do judaísmo.


Popular

CONNECT