Temer assina decreto que prorroga atuação das Forças Armadas no Rio

A expectativa é que, até a tarde de hoje, 500 homens cheguem na cidade.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou nesta sexta-feira (29), o envio de dois mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica para reforçar o patrulhamento no estado do Rio Grande do Norte já realizado pela Força Nacional de Segurança Pública.

A operação, a princípio, será de 15 dias, mas pode se estender por prazo indeterminado. Na avaliação exposta por Jungmann, a greve dos policiais militares e dos bombeiros do Estado gerou uma necessidade para uma ação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Nas próximas 48 horas, mais 1.5 mil militares serão deslocados de diversas unidades de estados próximos.

Além disso, outros 190 membros da Força Nacional também foram remanejados para a região e já estão em solo potiguar.

Jungmann aproveitou para enviar uma mensagem à população do Rio Grande do Norte. "Como das duas vezes anteriores, vamos chegar pra garantir a vida a propriedade e a observância da lei". Decidi permanecer em Natal durante o réveillon. Aqueles rapazes que vão deixar suas esposas e famílias para garantir as famílias de lá que vão festejar o ano novo. Esses rapazes que ganham mal, eles têm compromisso com o Brasil, com a vida das pessoas, inclusive, vão garantir a vida dos familiares dos policiais que se encontram aquartelados e estão do lado do Brasil que quer ordem, respeito e compromisso, e eu me orgulho deles.

O ministro da Defesa fez um apelo durante a coletiva de imprensa realizada na sede do Ministério, em Brasília, para que os policiais retomem suas atividades.

De acordo com o ministro, o governo federal já assegurou a disposição de reforçar o efetivo inicial, que atuará ao lado dos 220 agentes da Força Nacional de Segurança Pública já enviados ao estado. "Apesar de todas as vicissitudes, o valor mais sagrado que temos é a vida e quando a sociedade os dota de armas e equipamento para defendê-la, os faça na confiança que deposita neles", comentou.

Jungmann afirma ainda que deve fazer na próxima semana uma reunião com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e com os ministros Torquato Jardim (Justiça) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), para definir as ações que devem ser tomadas para o próximo ano no Estado.


Popular

CONNECT