Rebelião deixa mortos e feridos em presídio de Goiás

Detentos do regime semiaberto fizeram uma rebelião na tarde de segunda-feira (1) na Colônia Agroindustrial, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. Nove presos foram mortos e 14 ficaram feridos.

A Secretaria de Administração Penitenciária falou que a rebelião foi provocada depois que presos da ala C invadiram a ala B, de detentos rivais. Os rebelados ainda incendiaram a unidade prisional. O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas e não foram detalhados, ainda, a dimensão do que foi queimado. Os outros dois presos conseguiram fugir. Além disso, ele explicou que cerca de 20 reeducandos já foram recapturados. Outros 127 apenados também saíram da unidade durante a confusão, mas retornaram quando a situação foi controlada. O presídio foi retomado pelo Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), com apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, por volta das 16h.

O Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da PM também deu apoio no local, desde o início da rebelião, na contenção de fugas e na recaptura de foragidos. Durante todo o dia familiares de detentos estiveram em busca de informações na unidade prisional.

Os feridos foram encaminhados para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

Em Rio Verde houve tumulto entre os presos da penitenciária local.

A rebelião acontece exatamente um ano depois do motim no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, que deixou 56 presos mortos. No mês, ainda foram registradas mortes de presos em Maceió e São Paulo.


Popular

CONNECT