Aparelhos da Apple vulneráveis a "hackers"

No início da semana, os processadores da Intel sofreram também uma falha, que pode tornar os computadores mais lentos.

No seguimento da descoberta destas falhas, a Google e a Microsoft informaram os utilizadores, nos seus sites oficiais, de quais os produtos que tinham sido afetados.

Sem a correção do Safari e de praticamente todos os outros navegadores populares, centenas de milhões de usuários de iPhone e iPad podem não ter segurança para navegar na web até que a Apple faça seu reparo. A primeira afetou apenas dispositivos da Intel, enquanto que a segunda atingiu quase todos os computadores dos últimos dez anos. O Google disse que seus usuários de telefones Android - mais de 80% do mercado global - ficariam protegidos se tivessem as últimas atualizações de segurança. Apesar do perigo, a empresa garante que desconhece, até ao momento, casos de hackers a aproveitar estas falhas.

Os dispositivos da Apple, Mac e iOS são vulneráveis aos ataques do Specter através de um código que pode ser executado nos navegadores de pesquisa.

"Algo tão grave chama a atenção de todos os funcionários de uma empresa, e quando se questionam as pessoas responsáveis pela segurança e não se obtêm respostas, isso não transmite muita confiança". Contudo, a Apple veio a público dizer que as atualizações recentes do macOS 10.13.2 e iOS 11.2 incluem medidas que permitem prevenir a exploração da vulnerabilidade de nome "Meltdown".

A empresa alertou ainda os usuários a baixarem os softwares de atualização somente a partir de fontes confiáveis para evitar aplicativos "maliciosos". O sistema do Apple Watch não foi afectado. A Apple disse que vai disponibilizar um ajuste do navegador Safari para esses dispositivos "nos próximos dias".


Popular

CONNECT