Prefeito de Porto Alegre pede reforço do Exército para julgamento de Lula

"Se paira alguma ameaça sobre os cidadãos de Porto Alegre, é o autoritarismo do prefeito, evocando fantasmas de um tempo de exceção e de arbítrio", disse o partido, em resposta ao que Marchezan classificou como "invasão" de militantes pró-Lula.

Gleisi Hoffmann ficou nervosa com a solicitação de Marchezan para que a Força Nacional atue em Porto Alegre no dia 24 de janeiro. Ele explicou que a atitude visa "proteger o cidadão e o patrimônio público".

"Como é da tradição do PT e dos movimentos populares, realizaremos manifestações pacíficas em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato a presidente da República, porque ele não cometeu nenhum crime e porque sua candidatura expressa a vontade da grande maioria do povo", disse a nota do PT.

"Nossa causa é justa e não vamos aceitar provocações e palavras de ódio, como as proferidas hoje pelo prefeito de Porto Alegre, que, sob falso pretexto, pediu a intervenção das Forças Armadas para impedir nosso movimento". Segundo informação publicada na quarta-feira (3) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o partido dos Trabalhadores prepara um ato de recepção ao ex-presidente no mesmo dia, na volta a São Paulo.


Lula da Silva, que lidera todas as sondagens, tem repetidamente expressado o seu desejo de se tornar novamente Presidente do Brasil, mas uma condenação em segunda instância pode tirá-lo da disputa, já que a lei do país proíbe condenados em segunda instância de concorrer a cargos eletivos.

No dia 23, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e a ala de mulheres do partido farão um evento em defesa de Lula. De acordo com a publicação, a assessoria do Instituto Lula não confirmou a informação.

A Presidência da República encaminhou o pedido do prefeito para análise técnica dos Ministérios da Defesa e da Justiça.

O ex-Presidente brasileiro foi condenado em primeira instância, em julho do ano passado, a nove anos e meio de prisão num julgamento no qual foi acusado de ser favorecido por uma das empresas de construção que mantinham contratos ilícitos com a Petrobras. Caso contrário, Lula irá a capital gaúcha para participar das manifestações. O PT e lideranças têm compartilhado nas redes sociais o manifesto "Eleição Sem Lula é Fraude". Com versões em português, inglês, espanhol, francês e árabe, o documento já recebeu mais de 100 mil assinaturas.


Popular

CONNECT