Acusado de homofobia, Ratinho é acionado pela Defensoria Pública

Na última quinta-feira, Ratinho publicou um vídeo na sua conta do Instagramcontando que assistiu à minissérie de época Entre Irmãs e criticou a emissora responsável: "A Globo colocou viado até em filme de cangaceiro, gente?"

O desabafo de Ratinho sobre o que ele considerou "excesso" de homossexuais nas produções da Globo podecustar caro.

A Defensoria Pública de São Paulo entrou com uma representação contra o apresentador Ratinho, pelo vídeo publicado por ele em suas redes sociais falando que a emissora da Globo tem "exagero de viado". Naquele tempo não tinha 'viado' não. Mas veja bem, em nenhum momento eu quis ofender nenhum gay, até porque eu trabalho com todos eles, todos eles gostam de mim e eu gosto muito deles, então não tem nada a ver.

A Defensoria pede que a Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania instaure um processo administrativo e, ao final do procedimento, aplique multa ao apresentador por discriminação homofóbica, com fundamento na Lei Estadual nº 10.948/2001, que prevê punições administrativas para pessoas físicas e jurídicas por atos de preconceito por orientação sexual. Você acha que tinha veado naquele tempo?

"É muito viado: é viado às seis da tarde, é viado às oito da noite, é viado às nove da noite, é viado às dez da noite, é muito viado". Eu fiz uma brincadeira. Eu não sei o que está acontecendo, não tem tanto 'viado' assim.

Apesar de ter se desculpado e dito que tudo não passou de uma brincadeira que foi mal interpretada, o autor da representação, o defensor público Rodrigo Leal da Silva, afirmou à colunista Mônica Bergamo que a retratação não altera o conteúdo preconceituoso do discurso do comunicador.

"Quem me conhece sabe da minha personalidade, sou brincalhão e respeito todo mundo sempre", completou na legenda da publicação.


Popular

CONNECT