Correção: Vendas do varejo sobem 0,70% em novembro ante outubro, revela IBGE

No mês de outubro, o varejo teve uma queda de 0,7% das vendas - o dado inicial era um recuo de 0,9%, o pior para um mês de outubro em nove anos -, na expectativa das promoções da Black Friday, segundo avaliação feita na época pelo IBGE. A pesquisa mostra ainda que volume de vendas no acumulado de janeiro a novembro foi de 1,9% e o acumulado nos últimos 12 meses ficou em 1,1%.

As vendas do varejo cresceram 0,7% em novembro na comparação com outubro, depois de recuarem 0,7% no mês anterior.

Ao divulgar os resultados do varejo de outubro, Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, já havia sugerido que a queda nas vendas observada naquele mês poderia ter relação com as promoções da Black Friday, realizada em novembro.

Os segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico (+8,0%) e móveis e eletrodomésticos (+6,1%) foram os principais destaques de novembro, impactados pelo aumento das vendas decorrentes da Black Friday.

Os demais aumentos ocorreram em Livros, jornais e papelaria (1,4%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%); e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%). Mas uma recuperação mais contundente ainda depende de uma redução da taxa de desemprego, que permanece no patamar de 12%, ressaltou a gerente da pesquisa. Este último marcou o oitavo avanço consecutivo nessa comparação, período que acumulou ganho de 6,5%. Se o mês de novembro é favorecido, os meses de outubro e dezembro são prejudicados pelo adiamento e adiantamento das vendas, respectivamente.

O IBGE informou ainda que a receita nominal do varejo restrito cresceu 1,3% na passagem de outubro para novembro, pela série com ajuste sazonal.

O volume de vendas no varejo ampliado - que inclui a comercialização de veículos e motos, além de material de construção - cresceu 2,5% em novembro, na comparação a outubro, feitos os ajustes sazonais. No confronto com novembro de 2016, essa receita aumentou 4,6%.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 2,50% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal. Frente a novembro de 2016, essa alta foi de 7,1%.

O varejo cresceu de forma disseminada pelo país em novembro, frente a outubro, com alta no volume de vendas de 24 das 27 unidades da federação. Esta é a oitava taxa positiva seguida nesta base de comparação e a segunda maior de 2017 - atrás apenas do mês de setembro, quando foi de 6,2%.

Frente a novembro de 2016, os resultados das vendas no comércio varejista foram positivos em 23 das 27 Unidades da Federação, com destaques para Santa Catarina (15,7%), Rio Grande do Sul (14,8%) e Mato Grosso (14,2%).

Por outro lado, houve perdas em novembro em Combustíveis e lubrificantes (1,8%) e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,8%).

As vendas do comércio avançaram 0,7% em novembro, frente ao mês anterior, e com isso anularam a queda de igual intensidade que tinha sido registrada em outubro.


Popular

CONNECT