Novo chefe do Detran de Minas Gerais tem 120 pontos na carteira

A decisão foi tomada depois de uma reunião do Governo de Minas Gerais após a divulgação de que Júnior tem 120 pontos de infrações de trânsito em sua CNH.

O chefe do Detran foi multado 21 vezes por trafegar em velocidade superior à permitida.

A decisão teve o aval do chefe da Polícia Civil de Minas, João Octacílio Silva Neto, ao qual está subordinado o Detran estadual O novo diretor foi nomeado no mês passado e alega não ter sido notificado sobre as infrações de trânsito.

A reportagem solicitou uma entrevista com Alves Júnior, mas a assessoria de imprensa do Detran informou que ele não falaria. Por meio de nota, o Governo afirmou que ele deve passar pelo processo de punição e reciclagem. Por meio de uma nota, negou ter sido o motorista que cometeu as infrações.


O novo diretor do Detran-MG, Cesar Augusto Monteiro Alves Júnior, que acumula 120 pontos na carteira nacional de habilitação (CNH), entregou sua carteira e ficou proibido de dirigir por determinação do Governo de Minas Gerais.

Já a Polícia Civil declarou que a permanência à frente do Detran se deve "ao histórico do delegado", que em 25 anos atuando como servidor da instituição mostrou "habilidade técnica, competência, compromisso e urbanidade no trato com o cidadão".

"Esclareço que não recebi nenhuma das notificações de autuação das infrações a mim atribuídas, o que inviabilizou, além do meu constitucional direito de defesa, que eu pudesse exercer meu direito-dever de identificar quem conduzia os veículos no momento das infrações e possibilitar a correta responsabilização pelas infrações", frisou Júnior. Neste caso, é preciso preencher um formulário e levar os documentos solicitados ao órgão de trânsito no prazo máximo de 15 dias, contados a partir do dia do recebimento da notificação de autuação. Com isso, o delegado terá que se responsabilizar pelas infrações cometidas e renunciar tanto aos prazos de defesa como ao direito de recurso às infrações. Diz ainda que ele entregou voluntariamente a CNH "para dar início ao processo de suspensão".

Por 18 vezes, o chefe do Detran de Minas foi multado por ultrapassar o limite de velocidade em até 20%. Ele também foi multado quatro vezes por avançar o sinal vermelho e uma por estar sem o cinto de segurança.


Popular

CONNECT