TRF2 nega pedido de Cristiane Brasil

A Advocacia-Geral da União (AGU) já entrou com o recurso contra a suspensão da posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho.

Ao G1, Marun disse que a decisão da Justiça de suspender a posse de Cristiane Brasil é "questionável" e declarou ter "certeza" de que a medida será revista.

Com base nos argumentos, o juiz decidiu, preliminarmente, que conceder a liminar sem ouvir os réus se justifica "diante da gravidade dos fatos sob análise".

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, afirmou à Reuters que o presidente Michel Temer não pediu outro nome para substituir a indicação de sua filha, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), que teve a posse para o cargo de ministra do Trabalho barrada na véspera por decisão da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Ele destacou ter verificado "flagrante desrespeito à Constituição Federal no que se refere à moralidade administrativa", quando se pretende nomear para o cargo de ministro do Trabalho "pessoa que já teria sido condenada em reclamações trabalhistas".

A cerimônia estava marcada para às 15h.

A ordem no Palácio do Planalto, segundo a fonte palaciana, é só remarcar a posse de Cristiane para o ministério quando -ou se- conseguir derrubar a liminar.

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu da decisão junto ao TRF-2, mas o desembargador Guilherme Couto de Castro negou o recurso na tarde desta terça.


Mesmo com a suspensão judicial, o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral) incluiu desde o início da manhã a posse em sua agenda oficial e o hall monumental do Palácio do Planalto foi preparado desde cedo para a cerimônia.

A ação foi movida por três advogados que fazem parte de um grupo que protocolou ações populares em diferentes varas da Justiça Federal do Rio de Janeiro com o objetivo de impedir a posse da parlamentar.

Para evitar uma saia-justa com o PTB, contudo, ele preferiu manter a nomeação da ministra.

A indicação dela foi um reconhecimento do presidente à atuação de seu pai, Roberto Jefferson, que atuou diretamente para que o PTB fechasse questão em apoio à reforma previdência.

De acordo com interlocutores do presidente, não resta ao governo outra alternativa a não ser dar demonstrações ao PTB de que vai continuar defendendo a nomeação de Cristiane.

O principal cotado é o deputado federal Sérgio Moraes (PTB-RS), que em 2009 causou polêmica ao dizer que estava "se lixando para a opinião pública". Segundo um auxiliar, Temer tem um compromisso com o partido e qualquer mudança do nome teria que partir da legenda.

A congressista usa a verba -que serve para cobrir despesas do mandato- a título de pagar mensalmente R$ 4.000 à Barros & Serra Serviços Executivos Rent a Car.


Popular

CONNECT