Ibovespa sobe e passa de 82 mil pontos; dólar cai

No primeiro pregão após a condenação em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o índice à vista fechou na máxima, aos 85.530,83 pontos, e alta de 2,21%.

Por aqui, nesta sexta-feira, no interbancário, a moeda ficou cotada aos R$3,139 para a compra e R$3,140 para a venda, queda de 0,31%. O dólar terminou o dia quase estável, a R$ 3,14.

O Congresso dos Estados Unidos votou na véspera para encerrar a paralisação de três dias do governo norte-americano, mantendo-o na ativa até 8 de fevereiro, quando o Congresso terá que revisitar o orçamento e políticas imigratórias, duas questões distintas que se tornaram intimamente ligadas. É o menor valor de fechamento desde 4 de outubro quando fechou a R$ 3,13, informa o UOL.

A leitura do mercado é de que a decisão do TRF4 enfraquece a candidatura de Lula a presidente e isso aumenta as chances de eleição de um candidato favorável a reformas de ajuste fiscal e da Previdência. Contribuíram para esse novo patamar o cenário externo e a manutenção do otimismo que tomou conta dos mercados desde o julgamento do ex-presidente Lula, na última quarta-feira.


No ano, as aplicações superaram os resgates em R$ 2,88 bilhões. Apesar do número abaixo do esperado, o analista da corretora Magliano, Pedro Galdi, explica que o dado é positivo porque consolida a visão de um maior crescimento da economia global.

No ano, o índice ainda acumula elevação de 5,6%.

Dessas operações, 75,9% foram investimentos de até R$ 5 mil, sendo 50,6% de até R$ 1 mil. Outro recorde registrado foi de participação feminina entre os investidores cadastrados, que passou de 24,11% em dezembro de 2016 para 27,51% em dezembro de 2017. Na sequência, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 23,1% e os títulos prefixados, com 16,8%.

Já a maior desvalorização do Ibovespa ficou com as ações da Marfrig, que recuaram 1,60%. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.


Popular

CONNECT