Argentina tem primeiro caso de ameba que 'come cérebro'

Um menino argentino, de 8 anos, morreu após contrair a ameba Naegleria fowleri, popularmente conhecida como "come cérebro". Ela é conhecida por destruir o tecido cerebral. As informações são do jornal argentino Clarín. Ele morreu de cinco a sete dias após ser levado ao hospital com febre, dor de cabeça, vômito, fotofobia e sintomas de meningite, uma doença de inflamação das membranas cerebrais. Este seria o primeiro caso no país, divulgado na última semana pela Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas.

A infecção provocada pela ameba afeta gravemente a saúde e resulta no alto grau de mortalidade. As infecções, porém, são raras - segundo o Centro para Controle e Prevenção de Doenças Norte-Americano (CDC), entre 2007 e 2016, 40 infecções foram reportadas nos Estados Unidos, principalmente durante o verão.

Segundo Sixto Raúl Costamagna, ex-presidente da Associação Parasitológica da Argentina, em entrevista para o Clarín, a ameba pode ter chegado ao país portenha em decorrência das alterações climáticas globais.

Este parasita existe em muitos lugares frequentadas por humanos e está em todo o mundo: vive em lagos e rios, águas geotermais, águas residuais ou em piscinas que não são tratadas com cloro. O parasita nada livremente e, em geral, entra no corpo do hospedeiro pelo nariz, quando a pessoa está nadando ou mergulhando. Se conseguir chegar até o cérebro, provoca infecção mortal.


O caso ocorreu em fevereiro de 2017.

"Este é o primeiro registro de Meningoencefalite Amebiana Primária (MAP) documentado, produzido por Naegleria fowleri na Argentina, que é um caso autóctone, uma vez que a criança teria adquirido a infecção nas águas de um lago poluído", afirmou a Isid em comunicado.

Segundo o Relatório Epidemiológico de Córdoba, que documentou este caso, a ameba é um microrganismo que entra no corpo humano pelo nariz para colonizar e se reproduzir nos tecidos nasais. Isso não indica que não podem ter ocorrido outros.

A Meningoencefalite Amebiana Primária (MAP) é uma infecção que causa a destruição do tecido cerebral. Ela vive em locais com água doce quente, como rios e lagos, podendo ser contraída apenas por via nasal. Não é encontrada em água salgada. É a única maneira possível.


Popular

CONNECT