EUA. Wallmart proibe venda de armas a menores de 21 anos

Esta quarta-feira, a cadeia retalhista norte-americana Walmart anunciou que vai deixar de vender armas e munições a jovens com menos de 21 anos.

A decisão da Dick's Sporting Goods acontece duas semanas após o ataque a uma escola na Flórida.

A Dick's Sporting Goods, que conta com mais de 700 lojas em todo país, é a primeira grande rede de venda varejista que limita o acesso às armas bélicas.

O jornal "New York Times" explica que, de acordo com a lei federal, uma pessoa deve ter pelo menos 21 anos para comprar um revólver de um negociante de armas de fogo. O Walmart, que é o maior vendedor de armas do país, decidiu então elevar essa idade mínima para a compra de todos os tipos de armas.


As lojas já haviam deixado de vender em 2015 o fuzil AR-15, o mesmo utilizado por Nikolas Cruz no massacre de Parkland.

Outra mudança foi a retirada dos produtos que se assemelham a fuzis e brinquedos. Porém, a descontinuidade da venda se deu porque o produto estava sendo pouco procurado.

Além disso, a multinacional com sede no Arkansas também não vende pistolas em suas lojas, exceto nas do Alasca. "À luz dos eventos recentes, aproveitamos a oportunidade para revisar nossa política de vendas de armas de fogo", afirmou o grupo em comunicado.

Stack disse ainda que espera convencer políticos a fazer uma "reforma de armas de bom senso", com a aprovação de leis que aumentem a idade mínima para comprar armas para 21, proíbam armas de assalto com dispositivos de tiro automático e prevejam a verificação mais cuidadosa de antecedentes criminais dos possíveis compradores. A loja Dick's foi amplamente citada no Twitter, com a maioria das mensagens sendo de apoio à sua decisão, inclusive de celebridades.


Popular

CONNECT