Cai aprovação ao juiz Sérgio Moro, aponta pesquisa

Faltando sete meses para as eleições presidenciais, nenhum dos pré-candidatos vinculados ao governo e ao centro político tem taxa de aprovação superior a dois dígitos, segundo o Barômetro Político Estadão-Ipsos, pesquisa de opinião pública que todos os meses avalia a imagem de personalidades do mundo político e do Judiciário. Lula só fica atrás em aprovação para Luciano Huck, com 56%. O ex-presidente é aprovado por 42%, segundo a pesquisa realizada na primeira quinzena de fevereiro, ou seja, após sua condenação em segunda instância.

Contudo, Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos, aponta ser importante notar que, mesmo dentro da margem de erro da pesquisa, a aceitação do ex-presidente caiu nos últimos três meses: 45% em dezembro, 44% em janeiro e 42% em fevereiro, quebrando crescente constante iniciada em julho do ano passado, quando pulou de 28% para 45% de aprovação em dezembro. Já a desaprovação, no mesmo período, subiu de 54% em janeiro para 56% em fevereiro.

Cai aprovação ao juiz Sérgio Moro, aponta pesquisa
Cai aprovação ao juiz Sérgio Moro, aponta pesquisa

Já Geraldo Alckmin, presidenciável tucano, é aprovado por 20% dos eleitores e reprovado por 68%. Por fim, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem taxas um pouco melhores que as de Alckmin: aprovação de 24% - oscilação de três pontos para cima desde o levantamento anterior - e desaprovação de 58%. O levantamento não é de intenção de voto. Michel Temer, que cogita disputar a reeleição pelo MDB, é aprovado por apenas 4% da população. Os pesquisadores fazem a seguinte pergunta aos entrevistados: "Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no País". A desaprovação dele subiu de 92% para 93% entre janeiro e fevereiro. A margem de erro do levantamento é de 3 pontos porcentuais.



Popular

CONNECT