Justiça decreta prisão de casal acusado de matar filha de 5 anos

O corpo de Emanuelly Aghata da Silva, de 5 anos, supostamente morta após ter sido espancada pelos próprios pais, em Itapetininga (SP), está sendo velado na tarde deste domingo (4) no Cemitério de São João Batista.

Um casal foi preso neste sábado (3) por suspeita de espancar e matar a filha de cinco anos na cidade de Itapetinga, no interior de São Paulo.

Inicialmente, Emanuelly foi levada ao pronto-socorro de Itapetininga e, devido à gravidade dos ferimentos, foi transferida ao Hospital Regional de Sorocaba (SP), mas não resistiu e morreu na manhã de sábado (3). Em audiência de custódia, que durou cerca de duas horas, o juiz determinou a prisão preventiva do pais de Emanuelly até o dia do julgamento, que ainda não tem data marcada.

As crianças foram encaminhadas pelo Conselho Tutelar para um abrigo provisório, até uma definição da Justiça.

Interrogatórios nesse meio tempo também são feitos e normalmente a reconstituição do crime acontece e é apresentada ao júri.


Segundo a Polícia Civil, a mulher foi encaminhada à penitenciária em Votorantim e o homem foi levado para o presídio II em Itapetininga. Os dois são usuários de drogas e já estiveram envolvidos em suspeitas de agressões a seus outros filhos. Segundo a polícia, alguns pertences do casal, tais como celulares e outros aparelhos, foram apreendidos para perícia.

O casal acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) alegando que a criança tinha caído da cama e batido a cabeça, passando a ter convulsões.

Entretanto, a equipe de resgate suspeitou que os hematomas na menina poderiam ser ocasionados por maus tratos e acionou a polícia.

Após a confirmação da morte da criança, o casal foi detido e encaminhado à delegacia.

Os médicos, no entanto, disseram à polícia que as lesões não condizem com a versão dos pais, de que ela se autolesionava. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Popular

CONNECT