IBGE revisa produção industrial de dezembro ante novembro de +2,8% para +3,1%

O resultado negativo da produção industrial de janeiro, divulgado nesta terça-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), poderia indicar mudança de tendência ou mesmo arrefecimento do processo de recuperação da indústria? A queda é a mais acentuada desde fevereiro de 2016, quando a indústria tinha registrado recuo de 2,5%.

O resultado interrompeu uma sequência de quatro meses consecutivos de avanços, período em que a indústria tinha acumulado em ganho de 4,3%. "A queda devolve parte do avanço acumulado nos meses anteriores, não tudo", ressaltou André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

A taxa de crescimento acumulada pela indústria em 12 meses até janeiro, de 2,8%, foi a mais elevada desde junho de 2011, quando a alta foi de 3,6%. Em relação a janeiro de 2017, a produção subiu 5,7%.

Outras contribuições negativas relevantes para a retração de 2,4% no total da indústria foram de metalurgia (-4,1%), produtos de borracha e de material plástico (-5,4%), produtos alimentícios (-1,1%), perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (-2,4%), outros equipamentos de transporte (-12,1%), produtos de metal (-4,9%), produtos diversos (-11,2%), celulose, papel e produtos de papel (-3,3%) e coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,6%).

Segundo o IBGE, a queda teve um perfil generalizado, porque além de abranger essas três categorias econômicas, também se espalhou por 19 dos 24 ramos da indústria. Na comparação com janeiro de 2017, a produção mostrou crescimento de 18,3%, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF).

A categoria de bens de consumo duráveis cresceu com o aumento na produção de automóveis (17,3%) e de eletrodomésticos da linha marrom (50,4%). No acumulado em 12 meses, o avanço foi de 3,4%.

Houve revisão ainda na produção de bens intermediários de dezembro ante novembro, que passou de 1,7% para 2,2%.

A produção industrial brasileira caiu 2,4% em janeiro deste ano, na comparação com dezembro. No ano, os bens intermediários tiveram aumento de 4,2%.


Popular

CONNECT