Governo pode mudar tributação sobre os combustíveis

- A questão é muito clara: "a política de preços da Petrobras. é autônoma, baseada na eficiência corporativa, na realidade de mercado", disse.

Meirelles acrescentou que o estudo para mudança em tributo dos combustíveis "está no início".

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta terça-feira em entrevista à Rádio CBN de Ribeirão Preto que o governo está discutindo com a Petrobras uma nova política de preços para os combustíveis - que oscilam de acordo com a cotação no mercado internacional.

- Portanto, estamos revisando isso e ver se há alguma coisa a fazer ou não. "Não há nenhum pensamento de qualquer discussão a esse respeito", afirmou.

Nesta quarta (7), o ministro indicou que as discussões ainda estão em andamento e que não pretende mexer na política da Petrobras.

Meirelles disse que não há prazo para essa decisão. "A Petrobras fixa seus preços de acordo com as condições de mercado e da produção da empresa", ressaltou. À época, Parente se reuniu com Meirelles em Brasília e reclamou que o problema não era a Petrobras, mas os impostos -parte são cobrados da estatal, parte da distribuidora e parte dos postos. - Em relação a outros fatores, no entanto, existem sim diversos fatores que adicionam preço.

Questionado sobre a oscilação no preço das ações da Petrobras depois da entrevista que deu ontem, Meirelles respondeu que foi uma reação "normal" do mercado, que busca "ganhar" e depois se ajusta. Ele citou a margem de lucro das distribuidoras, no caso do gás, e disse que há possibilidade de ação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mas destacou que o Cade é uma "entidade independente". "E tem questões tributárias".

O ministro afirmou que não há prazo para fazer alterações e que nada disso deverá sair antes de 6 de abril, quando deverá decidir se permanece na Fazenda ou se sairá para tentar concorrer na eleição presidencial. "É uma manifestação de que estamos olhando isso, são tempos diferentes", disse.


Popular

CONNECT