Com processo da BlackBerry, WhatsApp pode sair do ar

A BlackBerry, grupo canadense de softwares de telecomunicações, anunciou nesta terça-feira (7) que apresentou uma ação judicial contra o Facebook por violar suas patentes. Segundo Sarah McKinney, porta-voz da BlackBerry, este processo surge depois de "vários anos de diálogo", sem que se tenha chegado a qualquer acordo.

"Os réus criaram aplicativos de mensagem que incorporam as inovações da BlackBerry, usando um número de ferramentas de segurança inovadora, interface de usuário e melhora de funcionalidade", informou a companhia canadense em processo protocolado na corte federal de Los Angeles.

Segundo informações da Variety, a direção da empresa busca uma interdição formal do uso das tecnologias de mensagens da empresa, o que poderia tirar do ar o WhatsApp, Messenger e o sistema de mensagens do Instagram.

O vice-conselheiro geral do Facebook, Paul Grewal, diz que a empresa planeia lutar.


O processo sobre violação de patente faz parte da estratégia do presidente-executivo da BlackBerry, John Chen, de levantar recursos para a companhia, que perdeu participação no mercado de smartphones que antes dominava. A empresa diz que a Blackberry está a tentar recolher royalties da sua enorme colecção de patentes, que passam das 40.000 patentes globais que cobrem sistemas operativos, infraestrutura de rede, acústica, mensagens, subsistemas automotivos, segurança cibernética e comunicações sem fios.

A rede social negou à AFP essas acusações, dizendo que "infelizmente refletem o estado do negócio de mensagens" do grupo canadense.

Em 2017, a BlackBerry entrou com uma ação contra a Nokia, Avaya e Qualcomm, sendo que conseguiu receber mais de R$ 3 bilhões. "Tendo abandonado os seus esforços para inovar, a Blackberry agora procura impor a inovação dos outros".

Veja também: E se o WhatsApp sair do ar?


Popular

CONNECT