Substituto de Astori, brasileiro decide para Fiorentina em dia de homenagem

Ao minuto 13 da partida entre a Fiorentina e o Benevento, da 28.ª jornada da liga italiana, houve uma pausa no jogo para homenagear Davide Astori, capitão da formação de Florença, que morreu na semana passado.

Todos os jogadores da equipe de Florença entraram em campo para o aquecimento com o número 13 e o nome do companheiro às costas. Um bandeirão trazia os seguintes dizeres: "Capitão para sempre".

No final, com a vitória por 1 a 0, mais homenagens e lembranças ao jovem capitão. Alguns jogadores da equipe da casa foram às lágrimas antes de a bola rolar.

No gramado, os atletas exibiram uma faixa com a frase "Ciao Davide", e crianças, com as camisas da Fiorentina e Cagliari, os dois times que decidiram aposentar a camisa 13, deram as mãos.


Aos 13 minutos do primeiro tempo, a partida foi paralisada pela arbitragem (em alusão ao 13 de Astori).

O único gol da partida saiu aos 25 minutos do primeiro tempo, e curiosamente saiu da cabeça do reserva de Astori na zaga da Fiorentina: o brasileiro Vitor Hugo, ex-Palmeiras. Jogadores, árbitros e torcedores aplaudiram longamente, em nova homenagem a Astori. E fez continência, em reverência ao capitão morto.

Que exemplo tão nobre e digno de ser registado, por parte dos dirigentes da ACF Fiorentina, para com a família do malogrado Davide Astori, que vão renovar o respectivo contrato e doar o salário à família do jogador, conforme os dirigentes daquele clube, que vão manter o acordo que já estava apalavrado com o malogrado jogador. O zagueiro de 31 anos teria sofrido um ataque cardíaco.


Popular

CONNECT