Conta de luz pode subir até 21% no Estado este mês

Apesar de os consumidores terem pago um adicional em suas contas por meio das bandeiras tarifárias, o valor não foi suficiente e deixou um passivo para 2018 - R$ 4 bilhões.

Em reunião nesta terça (13), a diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou revisões tarifárias da Enel Distribuição Rio, que atende 66 municípios do Estado do Rio, e da Light, que tem 3,9 milhões de unidades consumidoras na capital e em 31 municípios. O efeito médio deste aumento será de 10,36%.

De acordo com os índices definidos pela agência reguladora, os valores representam impacto médio de 34,41% para os consumidores atendidos em alta tensão e de 22,73% para os clientes do segmento de baixa tensão. No caso de alta tensão (indústrias), a alta vai ser em média de 13,40%.

Pelos contratos de concessões são definidos as construções de novas usinas de geração elétrica, operação de linhas de transmissão e a quantidade de energia que será gerada em determinado período.

Na semana passada, a Light e a Enel (antiga Ampla) conseguiram, na Aneel, regras especiais durante a atuação das Forças Armadas no estado, em decorrência dos decretos de intervenção federal e de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

"Essas pessoas não tem condição de pagar o tamanho da tarifa que chega para eles, mas subsidiam a conta de luz de consumidores do Norte e Nordeste", disse ela, que defendeu a mudança nos critérios de enquadramento da população nesse programa social para que mais pessoas possam receber o benefício.

Os valores serão submetidos a consulta pública até o dia 21 de abril. Entre as regiões atendidas pela Enel estão Niterói e Cabo Frio. Além disso, elas também alegam alta nos encargos que custeiam os subsídios como uma das razões.


Popular

CONNECT